Efeitos da intensidade da queima controlada sobre o solo e diversidade da vegetação de campo em Irati - PR, Brasil

Autores

  • Álvaro B. de C. Faria Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Chistopher T. Blum Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal
  • Clemência Chitsondzo Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal
  • Kátia C. Lombardi Universidade Estadual do Centro Oeste
  • Antonio C. Batista Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v6i3a932

Palavras-chave:

Ecologia do fogo, impacto ambiental, incêndios florestais, proteção florestal, queima prescrita

Resumo

Este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de uma queima controlada sobre o solo e vegetação de campo, no Campus da Unicentro, Irati, PR. A  queima controlada permaneceu em baixos níveis de intensidade (176,12 ± 24,49 kcal m-1 s-1), a velocidade média de propagação do fogo foi de 0,0219 ± 0,01 m s-1, com o fogo efetivamente sob controle, e com altura média de crestamento de 1,31 ± 0,42 metros. O teor de fósforo no solo queimado aumentou quase três vezes (22,06 mg dm-3) em relação ao solo testemunha (8,32 mg dm-3). Aparentemente, a ação do fogo não prejudicou o desenvolvimento das plantas, mas há indícios de que a Cyperus luzulae (L.) Rottb. ex Retz teve pouca tolerância ao fogo. Conclui-se neste trabalho que: i) a queima controlada na intensidade utilizada diminuiu o teor de matéria orgânica e aumentou a quantidade do fósforo, potássio e sódio no solo; ii) a queima controlada na intensidade utilizada não impediu a germinação de sementes da vegetação estudada; iii) a queima controlada na intensidade utilizada não causou perda de diversidade na vegetação estudada.

Biografia do Autor

Kátia C. Lombardi, Universidade Estadual do Centro Oeste

 

 

 

Antonio C. Batista, Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal

 

 

 

Downloads

Publicado

2022-03-14

Edição

Seção

Ciências Florestais