Relações entre lixiviação de nitrato e produção de biomassa do milho com dejetos suínos provenientes de diferentes tratamentos

Autores

  • Rubens Fey Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Maria do C. Lana Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Tiago Zoz Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Alfredo Richart Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • Eduardo B. Luchese Universidade Estadual do Oeste do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v5i2a715

Palavras-chave:

Zea mays, amônio, nutrientes

Resumo

Objetivou-se avaliar os efeitos da aplicação de dejetos de suínos na lixiviação do nitrogênio no solo e na produção de biomassa de milho. Dois experimentos foram conduzidos, um em Latossolo Vermelho eutroférrico e outro em Argissolo Vermelho Amarelo distrófico. Ambos foram acondicionados em vasos de
PVC, e adubados com dejetos de suínos provenientes de três diferentes tratamentos: biodigestor, pré-estabilizado por 120 dias e dejeto não tratado, todos aplicados nas doses equivalentes a 60 e 150 m3 ha-1. Adotou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado com seis tratamentos, uma testemunha e quatro repetições. Avaliaram-se os seguintes parâmetros: concentração de nitrato e amônio nas camadas de solo de 20, 40 e 60 cm e  biomassa e concentração de nutrientes na parte aérea do milho. Verificou-se lixiviação de nitrato apenas nas doses de 60 e 150 m3 ha-1 de dejeto não tratado e 150 m3 ha-1 de dejeto pré-estabilizado. A biomassa e a concentração de nutrientes no milho aumentaram conforme a quantidade de nutrientes adicionados aos solos, menos para o cálcio. As maiores produções de biomassa ocorreram nas doses de 150 e 60 m3 ha-1 de dejeto não tratado e 150  m3 ha-1 de dejeto pré-estabilizado respectivamente.

Biografia do Autor

Eduardo B. Luchese, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

 

 

 

Downloads

Publicado

2022-03-16

Edição

Seção

Agronomia