Desenvolvimento inicial de variedades e clones de cana-de-açúcar em Latossolo Vermelho Distrófico, Aparecida do Taboado-MS

Autores

  • Jorge L. Abranches Prefeitura Municipal de Bauru, Secretaria de Agricultura e Abastecimento
  • Antônio César Bolonhezi 2 Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Departamento de Fitotecnia Tecnologia de Alimentos e Sócio Economia

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v6i3a716

Palavras-chave:

Ambiente supressivo, índice de área foliar, Saccharum spp.

Resumo

No Brasil, assim como em outros países produtores de cana-de-açúcar (Saccharum spp.), variedades e clones têm sido continuamente desenvolvidos e testados com o objetivo de obter variedades melhor adaptadas às variações de clima, solos e manejo, visando um melhor desempenho em solos e climas de baixa aptidão agrícola para a cultura. Neste trabalho, foi avaliado o desenvolvimento vegetativo inicial e o desempenho de cinco clones (CT96-3095, CT95-3079, CT95-1425, CT96-3024, CT92-1882) e de duas variedades de cana-deaçúcar (SP81-3250 e SP91-1049) em ambiente caracterizado por solos de baixa fertilidade e textura arenosa. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, sendo os sete tratamentos constituídos pelas duas variedades de cana-de-açúcar e pelos cinco clones, em quatro repetições. As parcelas continham seis linhas de cana-de-açúcar de 15 metros de comprimento, com espaçamento entre linha de 1,50 m. Foram determinados o número médio de perfilhos, área foliar por perfilho, cobertura vegetal, biomassa da parte aérea e índice de fechamento da cana na entrelinha, por meio de seis avaliações, no primeiro semestre de 2008. Ao final das avaliações (116 dias após o plantio) constatou-se que os clones (CT96-3095, CT95-3079, CT95-1425, CT96-3024, CT92-1882) não superaram significativamente as duas variedades consideradas (SP81-3250 e SP91-1049).

Downloads

Publicado

2022-03-14

Edição

Seção

Agronomia