Caracterização e classificação de solos de uma litotoposseqüência do Projeto Xingó-SE

Autores

  • Luiz A. C. Fernandes Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba
  • Mateus R. Ribeiro Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Lindomário B. Oliveira Laboratório Nacional Agropecuário em Pernambuco
  • Rafael F. A. L. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v5i2a675

Palavras-chave:

Solos do semi-árido, Luvissolos, Planossolos, Neossolos RegolíticosLuvissolos

Resumo

A adequada caracterização de solos de áreas destinadas à utilização com agricultura irrigada é necessária para embasar a escolha dos solos de maior potencial produtivo e menor risco de degradação. Com este propósito foram caracterizados e classificados quatro perfis de solos de uma  litotopossequência representativa da ocorrência de solos do Projeto Xingó, visando fornecer subsídios à avaliação do potencial para uso com irrigação e contribuir para o aprimoramento do Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Os perfis, do topo da seqüência até a base, foram classificados como: Neossolo Regolítico Eutrófico fragipânico (Perfil 1), Neossolo Regolítico Eutrófico léptico fragipânico sódico (Perfil 2), Luvissolo Crômico Órtico sálico sódico (Perfil 4) e Planossolo Nátrico Órtico típico (Perfil 3). Dos quatro perfis, apenas o perfil 1 pode ser considerado apto para irrigação devido o seu baixo risco de encharcamento e salinização, mesmo apresentando baixas fertilidade natural, retenção e disponibilidade de água. Os demais solos foram considerados inaptos para agricultura irrigada por apresentarem características desfavoráveis a esse uso, incluindo baixa condutividade hidráulica, pequena  profundidade efetiva e caráter sódico e, ou sálico.

Biografia do Autor

Rafael F. A. L. Ferreira, Universidade Federal Rural de Pernambuco

 

 

Downloads

Publicado

2022-03-16

Edição

Seção

Agronomia