Calagem no crescimento e desenvolvimento da caramboleira

Autores

  • Amanda Hernandes Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
  • William Natale Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
  • Renato de M. Prado Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
  • Danilo E. Rozane Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
  • Liliane M. Romualdo Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
  • Henrique A. Souza Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v5i2a553

Palavras-chave:

Averrhoa carambola, frutífera, corretivo de acidez, variáveis biométricas

Resumo

As principais áreas de cultivo da caramboleira estão localizadas em regiões cujos solos são caracterizados pela acidez e baixa saturação por bases, o que limita o desenvolvimento normal das plantas, refletindo na produção. Assim, foram avaliados os efeitos da aplicação de doses crescentes de calcário ao solo sobre o diâmetro do tronco, o volume da copa e a altura de caramboleiras. O experimento foi realizado na Estação Experimental de Citricultura de  Bebedouro, São Paulo, em um Latossolo Vermelho distrófico (V = 26 % na camada de 0–20 cm), no período de agosto/1999 a julho/2006. As doses de calcário empregadas foram: 0; 1,85; 3,71; 5,56 e 7,41 t ha-1. Foram realizadas análises químicas do solo para fins de fertilidade e avaliações de variáveis biométricas, como diâmetro do tronco, altura e volume da copa de caramboleiras, durante cinco safras agrícolas. Os resultados demonstraram que houve correlação positiva entre a neutralização da acidez, concentração de cálcio, magnésio e saturação por bases do solo e as variáveis biométricas das  caramboleiras durante todo o período experimental.

Biografia do Autor

Liliane M. Romualdo, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

 

 

Downloads

Publicado

2022-03-16

Edição

Seção

Agronomia