Fator de susceptibilidade e produtividade da ervilha para diferentes alturas de lençol freático

Autores

  • Giovanni de O. Garcia Universidade Federal do Espírito Santo
  • Paulo A. Ferreira Universidade Federal de Viçosa
  • Walfredo S. C. Figueiredo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais
  • Delfran B. dos Santos Instituto Federal Baiano

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v5i2a457

Palavras-chave:

encharcamento do solo, lisímetro de drenagem, Pisum sativum L.

Resumo

Nesse trabalho, objetivou-se determinar o fator de susceptibilidade e os efeitos do índice diário de estresse e da inundação temporária sobre a produção da ervilha (Pisum sativum L.), cultivada em lisímetros de drenagem. Foram estudados os efeitos de cinco tratamentos, consistindo dos valores do excesso de água acima da profundidade de 30 cm: T1 : = 0 cm d-1 (testemunha); T2 : = 96 cm d-1; T3 : = 144 cm d-1; T4 : = 192 cm d-1; e T5 : = 240 cm d-1. No tratamento testemunha o lençol freático permaneceu a 50 cm de profundidade durante o ciclo fenológico da cultura. Para os outros tratamentos, foram realizadas seis
elevações do lençol freático de 10 em 10 dias, com duração de dois dias cada uma. Na determinação do coeficiente de susceptibilidade, a cultura foi submetida a encharcamento do solo com dois dias de duração até 5 cm de profundidade, em cada estágio de desenvolvimento. A cultura da ervilha  mostrou-se mais sensível ao estresse imposto no primeiro estádio de crescimento e menos sensível no quarto estádio. Os tratamentos envolvendo elevações freáticas e o índice diário de estresse apresentaram uma correlação linear negativa diminuindo os valores da altura de planta, peso médio de vagens por planta, peso total de vagens por planta, numero médio de vagens por planta e o número total de vagens por planta.

Downloads

Publicado

2022-03-16

Edição

Seção

Engenharia Agrícola