Viabilidade técnica do uso de biofertilizantes para melhoria das características químicas do solo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v16i3a331

Palavras-chave:

atributos químicos, Gliricidia sepium, Inga edulis, matéria orgânica, fertilidade do solo

Resumo

Desenvolver biofertilizantes com resíduos do agroextrativismo amazônico capazes de melhorar a fertilidade dos solos ácidos e pobres em nutrientes é uma estratégia viável para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar na Região Norte do Brasil. Nessa perspectiva, o objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da aplicação de biofertilizantes, formulados à base de resíduos orgânicos localmente disponíveis, sobre a fertilidade de um LATOSSOLO AMARELO Distrófico. O experimento foi realizado no campo experimental da Fazendinha da Embrapa Amapá, Macapá, AP. Utilizou-se o delineamento em blocos casualizados com parcelas subdivididas no espaço, com cinco repetições. As parcelas foram compostas por sete fertilizações, sendo um tratamento controle (sem fertilização) e seis biofertilizantes formulados a base de esterco bovino fresco, parte aérea de Cecropia sp., folhas de Gliricidia sepium ou Inga edulis e bainha foliar de Euterpe oleracea ou pseudocaule de Musa sp.; e as subparcelas foram as duas profundidades do solo analisadas (0 a 2,5 e 2,5 a 5 cm). Os biofertilizantes promoveram correção da acidez do solo, incrementos do teor de matéria orgânica, P, K+, Ca2+, Mg2+, soma de bases e capacidade de troca de cátions e elevação da porcentagem de saturação por bases, sobretudo na camada superficial. Observou-se redução das limitações químicas do LATOSSOLO AMARELO Distrófico pela aplicação de biofertilizantes baseados em resíduos orgânicos localmente disponíveis e o incremento no conteúdo de matéria orgânica correlacionou-se positivamente com o incremento nos níveis dos atributos químicos do LATOSSOLO AMARELO Distrófico.

Downloads

Publicado

2021-09-15

Edição

Seção

Agronomia