Potencial energético de madeira de Eucalyptus sp. cultivado no Polo Gesseiro do Araripe, PE, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v16i1a8961

Palavras-chave:

biomassa, semiárido brasileiro, carvão vegetal, matriz energética

Resumo

Este estudo teve como objetivo caracterizar energeticamente a madeira e avaliar a qualidade do carvão produzido de diferentes clones de Eucalyptus sp., identificando o mais adequado. A densidade básica da madeira foi determinada, em seguida, a análise da química imediata e o poder calorífico foram identificados do carvão vegetal. A produção anual de energia foi estimada pela relação entre a produção de madeira desses clones de Eucalyptus e as informações obtidas nas etapas anteriormente citadas. O experimento foi conduzido seguindo um delineamento inteiramente casualizado. Os dados foram submetidos ao teste de homogeneidade de variâncias de Cochran’s, quando eles apresentavam diferença significativa, as médias foram comparadas pelo teste de Tukey (p = 5%). As propriedades da madeira e do carvão vegetal foram correlacionadas pela análise de correlação de Pearson (p = 0,05). De acordo com os resultados, o material genético não influenciou a química imediata do carvão vegetal, entretanto, os clones de E. urophylla × E. terticornis híbrido - C101 e E. urophylla - C39, apresentaram melhores resultados considerando a densidade básica da madeira. Além disso, o híbrido C101 apresentou o maior potencial de produção de massa de madeira, bem como a massa de carvão a ser produzida. Devido a essas características, esse híbrido apresentou maior potencial de produção anual de energia.

Downloads

Publicado

2021-03-25

Edição

Seção

Ciências Florestais