Equações volumétricas genéricas e específicas para árvores individuais na Floresta Nacional do Tapajós, Amazônia Oriental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5039/agraria.v16i1a8527

Palavras-chave:

espécies amazônicas, validação de equações, identidade de modelos, manejo madeireiro, modelagem volumétrica

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar, por meio do teste de identidade, o uso de modelos volumétricos em sete Unidades de Produção Anual (UPAs) na Floresta Nacional do Tapajós (FNT), assim como verificar a validade de equações ajustadas com dados de cubagem da UPA do ano anterior para utilização na UPA subsequente. Utilizou-se uma amostra total de 2.100 árvores (300 árvores por UPA) para o ajuste de seis modelos e, em seguida, o modelo selecionado foi ajustado para os dados estratificados por UPA. O teste de identidade, que compara equações ajustadas a partir de diferentes conjuntos de dados para verificar se uma única equação pode ser empregada para todos os casos, foi usado para comparar equações em várias combinações das UPAs, bem como o teste t para validação de equações ajustadas com dados da UPA do ano anterior. O teste de identidade foi significativo para a maioria dos casos testados, incluindo a combinação de todas as UPAs, indicando que não é recomendável empregar-se uma equação genérica para toda a área de manejo. Para a maioria dos casos avaliados, o teste t indicou haver diferença entre o volume observado e o volume estimado com a equação ajustada com dados da UPA do ano anterior. Portando, o uso de uma equação genérica e de equações ajustadas com base nos dados das UPAs manejadas no ano anterior não é recomendado para a estimativa de volume na FNT.

Downloads

Publicado

2021-03-11

Edição

Seção

Ciências Florestais